Ouça a matéria na íntegra:

 

O Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) incide sobre quase todos os produtos comercializados. A alta taxa deste imposto faz com que aja oscilação frequente no preço final das mercadorias. Por esse motivo, nos supermercados, por exemplo, os gastos com alimentação mensal da casa não são colocados em contas fixas, já que todos os meses o valor pode variar.

 

Tatiane Lins (38) tem uma hortifruti no Antares e explica que o imposto já vem embutido quando faz as compras para o estabelecimento em atacado. “Como aqui é pequeno, a gente tem alguns fornecedores, mas o resto faz compras no Atacadão”, esclarece. Na nota fiscal de uma dessas compras, Tatiane constatou que dos R$ 85,00 reais que compunha o preço final, R$ 18,90 era somente de ICMS.

 

Katielly Rodrigues é dona de casa e explica que costuma realizar suas compras mensais em um supermercado específico. Mas, nunca deixa de olhar a nota fiscal para não ter problemas. “Inclusive, já teve casos de erro que só resolveu porque olhei a nota”, relata.  Sobre a questão de identificar os impostos, ela afirmou que não costuma verificar, embora saiba que é uma quantidade grande.

 

É o caso de Maria Alves, também dona de casa, que desconhece a quantidade de impostos que paga nos alimentos, mas para saber qual o local onde o preço está mais em conta mantém o hábito de pesquisar no Google o supermercado que melhor tem os preços que se encaixam no seu orçamento mensal.

 

Por Débora Siqueira- Jornalista

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *