Redução do ICMS do milho em Sergipe

Redução do ICMS do milho em Sergipe

Agricultores de Sergipe podem ter acesso a redução do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) do milho, que de acordo com a Secretaria de Estado da Fazenda (Sefaz/SE), vai estar disponível até o dia 30 de abril.

Segundo a Sefaz, o objetivo é fortalecer a economia local e combater a sonegação, além de beneficiar também algumas atividades ligadas ao atacado de matérias-primas agrícolas com fracionamento ou acondicionamento associado e de cereais e leguminosas.

Para ter acesso ao benefício da tributação de 2% no ICMS do grão, é necessário manter a regularidade fiscal e cadastral e requerer o Regime Especial de Tributação. É preciso ainda inscrição no Cadastro de Contribuintes do Estado (Cacese).

Para garantir o cadastro e o recebimento da requisição do Regime Especial de Tributação, as Centrais de Atendimento ao Contribuinte da Sefaz/SE (Ceac’s) e postos fiscais disponibilizarão formulários simplificados a serem preenchidos pelos interessados.

Para fazer o cadastro é necessário, para os inscritos com CPF, apenas o formulário assinado. Já aos inscritos com CNPJ é solicitada a cópia autenticada do contrato social atualizado. Caso não seja o próprio solicitante, é necessário apresentar instrumento procuratório.

Atendimento

Para orientação e elucidação de dúvidas sobre os procedimentos necessários para a formalização de produtores e empresas ligadas à comercialização do milho, a Sefaz/SE disponibiliza o serviço de Plantão Fiscal, através dos números (79) 3216-7267 e 3216-7318, de segunda a sexta-feira, das 7h às 13h, ou ainda pelo e-mail gertrib@sefaz.se.gov.br. O atendimento presencial continua sendo através dos Ceacs e Postos Fiscais da Sefaz/SE nas regionais do interior do Estado. Outras informações também estão disponíveis no site da secretaria.

 

Fonte: G1

Como Driblar a Crise no Setor Agropecuário

Tenha um diferencial competitivo através da Sistemática de Importação por Alagoas e saiba ela pode lhe auxiliar a se destacar no mercado mesmo com as dificuldades atuais.

Leia mais >>>

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *