Na reunião do Grupo de Trabalho Econômico, que aconteceu em Brasília, no último dia 28, a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) defendeu a prorrogação do convênio que reduz a base de cálculo do ICMS em 60% para a saída de insumos e produtos agropecuários que vão de um Estado para o outro, que vence no dia 30 de abril.

 

A preocupação da instituição é que a não renovação pode elevar os custos de produção dos produtores rurais. Além disso, segundo o coordenador do Núcleo Econômico da CNA, Renato Conchon, o aumento pode passar dos 7%.

 

“Estimativas preliminares apontam um aumento de até 7,6% nos preços dos insumos, dependendo do Estado. A não prorrogação afetará a rentabilidade dos produtores e, por consequência o crescimento sustentável da economia estadual”, afirmou o coordenador em nota divulgada pela Confederação.

 

Fonte: Estadão

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *